Segunda-feira, 24 de Julho de 2006

Porque é que bocejamos?

É uma forma de activar o cérebro e evitar o sono.

Ao bocejar, o segundo e o terceiro ramo do nervo trigémeo (um dos nervos da face) são activados, estimulando o cérebro. O mesmo efeito pode ser obtido mascando pastilha elástica.

O único mistério é o factor «epidémico» do bocejo — ninguém sabe porque é que as pessoas bocejam quando vêem outras a bocejar!

 

in http://www.ajc.pt/cienciaj/n25/vsaude.php

Urbanamente:: gozão
música: people+arts
urbanizado por jfd às 02:01
link | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 22 de Julho de 2006

Coisas

Coisas acontecem,

pessoas acordam pra vida

pessoas mudam

corações destroçados

corações reconfortados

amigos divertem-se

pessoas morrem

crianças nascem

guerras são travadas

doentes são curados

missas são celebradas

casais fazem amor

cientistas fazem descobertas

astronautas orbitam a terra

alguém sai de uma festa

uma criança sorri

outra chora.

Tudo num minuto...

meu Deus, como serão os próximos?

.....

Urbanamente:: ok ;)
música: filme que passa na sic
urbanizado por jfd às 16:54
link | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sexta-feira, 21 de Julho de 2006

Peixes by Sapo Astrologia

19 de Fevereiro a 20 de Março

 

O 12º signo do Zodíaco

Elemento: Água, Mutável
Planeta Regente: Neptuno
Príncipio: Passivo
Parte do corpo: Pés
Estação do ano: Fim do Inverno no hemisfério norte
Incensos: Alfazema
Pedras: Jade
Dia: Quinta
Metal: Estanho
Côr: Verde

Personalidade do Peixes: "Deixem-me ajudar-vos"

O símbolo do Peixes é constituído por dois peixes, um para a alma e outro para a personalidade. Nadam na direcção oposta. Os Peixes sentem que ambos sobem corrente acima. São problemáticos. Más línguas ou mau tempo podem deixá-los deprimidos por várias semanas. Os Peixes não esperam muito da vida, sabem que estão destinados a chegarem em último lugar. Acreditam que o merecem, porque devem ter feito algo de errado. São mártires e santos. Preocupam-se demasiado com os problemas dos outros . Farão qualquer coisa para nos ajudar, mas não sabem como se ajudarem a si próprios. Possuem demasiado auto piedade . Precisam de tempo para si próprios para reunirem energias. Os Peixes adoram poesia, arte, coisas místicas e acreditam em magia.

AMIZADE
Nunca se esquecem dos nossos aniversários, ouvem as nossas histórias de amor, quando mais ninguém as quer ouvir. Levam-nos ao médico e não saem do nosso lado enquanto arrancamos um dente. Os Peixes vivem para ajudar os outros, portanto não se aproveitem destas almas caridosas, porque é muito fácil fazê-lo. Estão sempre connosco quando mais precisamos, e os amigos são para toda a vida. Nunca nos magoarão.

AMOR
Sonham que existe algures uma alma gémea, que adorarão os seus gestos adoráveis, poemas de amor e rosas. Essa pessoa não se importa de estar num pedestal, enquanto o Peixes o olha através de vidros cor-de-rosa. Adoram estar enamorados. Oferecem prendas simplesmente porque é Segunda-Feira, e apreciam pequenas coisas como recompensa. Querem manter velhos amantes como amigos para sempre. Sabem que eventualmente eles saberão o bom amor que tiveram.

Urbanamente:: acabado d'acordar
música: sic mulher
urbanizado por jfd às 10:21
link | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 20 de Julho de 2006

...

"

Desejar sem querer concretizar

Paixão sem querer beijar

Sorriso ao lembrar

Sentir ao estar

Saudade na partida

O que é?

"

:P

Urbanamente:: hidroginasticado
música: Utada Hikaru - Sanctuary
urbanizado por jfd às 21:41
link | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quarta-feira, 19 de Julho de 2006

Grande viagem

Não existe maior viagem que a da descoberta!

A descoberta de nós próprios, de quem somos o que somos, o que fomos e o que seremos...

Viagem atribulada, demorada e complicada. Muitas escalas, umas melhores, outras piores outras devastadoras...

Mas muito reconfortante. Seja qual for o resultado será sempre a verdade!

E nada melhor que sabermos quem fomos, quem somos para ajudar a perceber para onde vamos!

 

;))))

 

Urbanamente:: iluminado!
música: ...
urbanizado por jfd às 12:25
link | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 18 de Julho de 2006

Calor

Horrível o calor que incomoda e não deixa dormir como deve de ser...

Que seca de tempo... nunca mais é Natal...

Urbanamente:: mole
música: it's hot
urbanizado por jfd às 10:12
link | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 15 de Julho de 2006

Dia histórico para Chaves

José Sócrates inaugurou hoje um troço de uma auto-estrada A24 que estará pronta em 2007.

POR AMOR DE DEUS

"Fez-se justiça com Trás-os-Montes" - José Sócrates

 Ao menos é um um troço único no país. Um troço verde, que até uma ponte tem; a chamada ponte verde, para animais (lobos, javalis e corços (?))....

"É uma média engraçada" - diz o senhor do ICN acerca do número de passagens subterraneas para os bichos...

...

 

 

Urbanamente:: :P
música: jornal da tarde @ sic
urbanizado por jfd às 13:22
link | comentar | favorito

ANÍBAL ANTÓNIO CAVACO SILVA - Parabéns!!!

  •  Professor Catedrático da Universidade Católica Portuguesa.
  • Licenciado em Economia pela Universidade Técnica de Lisboa (1964).
  •  Ph.D. em Economia pela Universidade de York, Inglaterra (1973).
  •  Doutor “Honoris Causa” pelas Universidade de York (1993) e da Coruña (1996).
  •  Primeiro-Ministro de Portugal de Novembro de 1985 a Novembro de 1995.
  •  Ministro das Finanças e do Plano (1980).
  •  Presidente do Conselho Nacional do Plano (1981-1984).
  •  Presidente do Partido Social Democrata de Maio de 1985 a Fevereiro de 1995.
  •  Investigador da Fundação Calouste Gulbenkian (1966-1977).
  •  Professor do Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras (1966- 1978) e da Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa (1978- 2001).
  •  Director do Departamento de Estatísticas e Estudos Económicos do Banco de Portugal (1977-1985).
  •  Consultor do Banco de Portugal (1996-2004).
  •  Director da revista “Economia” da Universidade Católica Portuguesa (1977- 1985)
  •  Prémio “Joseph Bech” (1991) pela contribuição para a construção europeia; "Freedom Prize" da Fundação Schmidheiny ( 1995) pela acção como político e economista; Prémio “Carl Bertelsmann” da Fundação Bertelsmann (1995) pelos resultados conseguidos por Portugal no combate ao desemprego.
  •  Membro da Sociedade Científica da Universidade Católica Portuguesa  e do Instituto Internacional de Finanças Públicas.
  •  Membro da Real Academia de Ciências Morais e Políticas, Espanha.
  •  Membro do Clube de Madrid para a Transição e Consolidação Democrática, e da "Global Leadership Foundation".
  •  Autor de vários livros (“Economic Effects of Public Debt”, “Finanças Públicas e Política Macroeconómica”, “As Reformas da Década”, “Portugal e a Moeda Única”, “União Monetária Europeia”, “Autobiografia Política”, entre outros) e numerosos artigos nos domínios da economia, finanças, relações internacionais e políticas.
  •  Eleito Presidente da República Portuguesa em 22.01.06.

 

 

Urbanamente:: Feliz
música: A Portuguesa
urbanizado por jfd às 00:55
link | comentar | favorito
Sexta-feira, 14 de Julho de 2006

ELOGIO AO AMOR por Miguel Esteves Cardoso

Para os Namorados, Os ainda não namorados, para os Casados, Os ainda não Casados e para todos aqueles que pensam e sonham com o amor. Os Gandas machos ( ou machinhos ) podem dispensar a leitura...
ELOGIO AO AMOR


Quero fazer o elogio do amor puro.
Parece-me que já ninguém se apaixona de verdade.
Já ninguém quer viver um amor impossível.
Já ninguém aceita amar sem uma razão.
Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática.
Porque dá jeito. Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado.
Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido. Porque é mais barato, por causa da casa.
Por causa da cama. Por causa das cuecas e das calças e das contas da lavandaria.
Hoje em dia as pessoas fazem contratos pré-nupciais, discutem tudo de antemão, fazem planos e à mínima merdinha entram logo em "diálogo".
O amor passou a ser passível de ser combinado. Os amantes tornaram-se sócios.
Reúnem-se, discutem problemas, tomam decisões.
O amor transformou-se numa variante psico-sócio-bio-ecológica de camaradagem.
A paixão, que devia ser desmedida, é na medida do possível. O amor tornou-se uma questão prática.
O resultado é que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam "praticamente" apaixonadas.
Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor doente, do único amor verdadeiro que há, estou farto de conversas, farto de compreensões, farto de conveniências de serviço.
Nunca vi namorados tão embrutecidos, tão cobardes e tão comodistas como os de hoje.
Incapazes de um gesto largo, de correr um risco, de um rasgo de ousadia, são uma raça de telefoneiros e capangas de cantina, malta do "tá tudo bem, tudo bem", tomadores de bicas, alcançadores de compromissos, bananóides, borra-botas, matadores do romance, romanticidas. Já ninguém se apaixona?
Já ninguém aceita a paixão pura, a saudade sem fim, a tristeza, o desequilíbrio, o medo, o custo, o amor, a doença que é como um cancro a comer-nos o coração e que nos canta no peito ao mesmo tempo?
O amor é uma coisa, a vida é outra. O amor não é para ser uma ajudinha.
Não é para ser o alívio, o repouso, o intervalo, a pancadinha nas costas, a pausa que refresca, o pronto-socorro da tortuosa estrada da vida, o nosso "dá lá um jeitinho sentimental".
Odeio esta mania contemporânea por sopas e descanso. Odeio os novos casalinhos. Para onde quer que se olhe, já não se vê romance, gritaria, maluquice, facada, abraços, flores.
O amor fechou a loja. Foi trespassada ao pessoal da pantufa e da serenidade. Amor é amor.
É essa beleza. É esse perigo. O nosso amor não é para nos compreender, não é para nos ajudar, não é para nos fazer felizes. Tanto pode como não pode. Tanto faz. É uma questão de azar.
O nosso amor não é para nos amar, para nos levar de repente ao céu, a tempo ainda de apanhar um bocadinho de inferno aberto.
O amor é uma coisa, a vida é outra. A vida às vezes mata o amor.
A "vidinha" é uma convivência assassina. O amor puro não é um meio, não é um fim, não é um princípio, não é um destino. O amor puro é uma condição. Tem tanto a ver com a vida de cada um como o clima. O amor não se percebe. Não dá para perceber. O amor é um estado de quem se sente. O amor é a nossa alma. É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreende. O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é necessária. A ilusão é bonita, não faz mal. Que se invente e minta e sonhe o que quiser. O amor é uma coisa, a vida é outra. A realidade pode matar, o amor é mais bonito que a vida. A vida que se lixe. Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem.
Não é para perceber. É sinal de amor puro não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar a esperança, doer sem ficar magoado, viver sozinho, triste, mas mais acompanhado de quem vive feliz. Não se pode ceder. Não se pode resistir.
A vida é uma coisa, o amor é outra. A vida dura a vida inteira, o amor não.
Só um mundo de amor pode durar a vida inteira. E valê-la também.




- Miguel Esteves Cardoso
Urbanamente:: desperto!
música: buddha-bar viii
urbanizado por jfd às 08:22
link | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 13 de Julho de 2006

Sr Adriano

É o meu novo herói !

Este senhor conseguiu uma condenação da CP em tribunal a seu favor; havia sido roubado num comboio da CP com um revisor como testemunha.

A CP terá de lhe ressarcir no valor de 600 euros!

A Justiça é de facto lenta, mas neste caso mais que justa!

Uma das piores coisas neste país é  falta de responsabilização e o deixa andar...

Pode ser que agora muita gente pense duas vezes antes de, "oh, deixa andar, não vou conseguir nada mesmo..."

Bem haja Senhor Adriano

Parabéns Justitia

Urbanamente:: ...
música: ...
urbanizado por jfd às 22:31
link | comentar | favorito

.Urbano

.pesquisar

 

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.urbanidades recentes

. Sodade

. Dançando com os Dragões

. factor X

. D'aqui para a frente

. Eleições

. Tv?

. Humildade e Fé emocionant...

. Respeito!

. De Braços Abertos!

. Parabéns!

.urbanidades arquivadas

. Abril 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

. Novembro 2003

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Coisas simples

blogs SAPO

.subscrever feeds